Seriam as publicações Open Access uma boa opção para publicar seu artigo?

Muitos pesquisadores tem por escolha publicar em revistas de renome, com fator de impacto bom na área, as vezes pagas e com valores muito altos para o padrão de salários dos pesquisadores brasileiros ou mesmo dos valores recebidos em projetos. Algumas revistas, mesmo brasileiras “cobram” R$ 1.800,00 por artigo, outra bem mais.

O padrão Open Access em muitas revistas, mesmo que seja cobrada a taxa de publicação tem se tornado um padrão, mas o grandes Publishers ainda dependem da venda de artigos, o que contraria o princípio da OIA (Open Access Initiative).

Continuar lendo Seriam as publicações Open Access uma boa opção para publicar seu artigo?

Pesquisadores mais Velhos tem sua produção científica reduzida!?

Publicado originalmente no site WCRodrigues em  07/03/2016

Motivação

Recentemente recebi um e-mail de um informativo onde o título de uma das matérias dizia “Estudo relaciona idade de pesquisadores à queda de qualidade nos trabalhos”. Até não vejo nada demais, pois é uma realidade inexorável que todo pesquisador tem que enfrentar alguns mais outros menos.

Continuar lendo Pesquisadores mais Velhos tem sua produção científica reduzida!?

As métricas das publicações cientificas e o dano causado a produtividade científica

Motivação
Recentemente vi em uma rede social uma publicação sobre os problemas de revistas de taxonomia e sistemática, quando as métricas criadas pelos Publisher internacionais, que na minha opinião, acaba por forçar os pesquisadores a publicarem em suas revistas, uma vez que o grande objetivo destes é tão somente o lucro.

Continuar lendo As métricas das publicações cientificas e o dano causado a produtividade científica

Retratações e Plágio: Um problema na academia

Publicado originalmente em: http://wcrodrigues.ebras.bio.br/opinions.asp

Lembro, que ainda na minha graduação (1994-1999) a qualidade de uma publicação era o que mais importava. Lembro-me de ler artigos que eram oriundos do texto original de dissertação, com adaptações às normas das revistas, como por exemplo, a dissertação de Racca Filho (1992), intitulada “Contribuição ao estudo dos gêneros Lasiodera Gray, 1832 e Philyra Laporte, 1836 (Coleoptera, Cleridae)” e seu artigo “Contribuição ao estudo de Lasiodera Gray e Philyra Laporte, gen. rev. (Coleoptera, Cleridae)” (Racca Filho & Peracchi, 1996).

Obviamente o parágrafo acima nos remete a pergunta. O que isso tem haver como plágio e retratação? Bom, seguirei esta vertente, para defender minha opinião quanto aos casos de plágio e retratação ocorridos desde a década de 1990, não que antes disso os casos de plágio não ocorressem, sim ocorriam, mas ou era difíceis de detectar ou ocorriam em menor número em comparação a década de 2010 em diante.

Continuar lendo Retratações e Plágio: Um problema na academia